BLOG

Aluguel de ações: o que é e como funciona?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on print

O aluguel de ações permite que você empreste os seus papéis em troca de uma taxa e se configura como uma forma de aumentar a rentabilidade da sua carteira. Já para o locatário, esta é uma oportunidade de investimento.

Sob uma visão macro, a operação tem como objetivo uma relação de ganha-ganha, principalmente para quem empresta os ativos.

O processo é semelhante ao aluguel de uma casa, por exemplo. É composto por duas partes, doador (proprietário dos papéis) e tomador (pessoa que toma o empréstimo), e deve apresentar basicamente acordos de remuneração, garantias e prazos específicos.

A administração do tramite é feita pela BM&FBOVESPA que também atua como contraparte central das operações, e tem hoje como ativos:

  • Ações;
  • Units (ações compostas por ordinárias e preferenciais);
  • ETFs (Exchange Traded Funds);
  • BDRs (Brazilian Depositary Receipts).

Como funciona?

O doador informa à corretora sobre o seu interesse em alugar seus papéis, já definindo a quantidade, a remuneração e os prazos que serão praticados.

Do outro lado, o tomador, para alugar os papéis, deve apresentar garantias, conforme exigência da corretora, que podem ser compostas por ativos, títulos do Tesouro Direto, CDBs, LCI/LCA e inclusive outras ações.

O objetivo é garantir que você tenha capital suficiente para cobrir a liquidação na data do vencimento do contrato. Depois do depósito do valor, você já está apto a alugar as ações.

Em seguida a instituição mediadora tem a função de ligar as duas partes do acordo.

Na efetivação, ocorre a transferência das ações do doador para o tomador até o prazo estipulado.

Vantagens do Aluguel de Ações

O aluguel de ações pode ser um serviço vantajoso para os participantes, pois permite que cada um realize os seus objetivos na bolsa de valores.

Para o doador, a parte mais beneficiada, a principal vantagem é o recebimento dos aluguéis que incrementa os rendimentos da carteira.

Se a sua estratégia engloba investimentos a longo prazo, esta pode ser uma boa opção para ter mais rentabilidade e manter a composição do seu leque de opções por um período maior.

Além disso, ele continua a receber os benefícios pagos pelos papéis. Então são duas fontes de renda extra para aumentar os seus rendimentos.

Para o tomador, ao alugar ações, ele pode ganhar dinheiro na bolsa de valores através da venda com preço maior e compra em cotações mais baixas.

Essa estratégia é chamada de venda a descoberto e costuma ser utilizada pelos especuladores, principalmente antes da devolução dos papéis ao doador.

Outra vantagem é a utilização do aluguel de ações na estratégia long and short, sendo:

O long, quando se compra o ativo e aguarda a sua valorização;

O short, que é o lado vendido e o papel alugado, no qual, a expectativa é a queda.

A lucratividade da estratégia vem da diferença entre as cotações destes dois ativos. Quanto maior ela for, mais retorno para a sua carteira.

Direitos e deveres

Assim como todos os contratos de locação, o de aluguel de ações também possui direitos e deveres que devem ser conhecidos e seguidos pelas partes envolvidas.

Desta forma, a vigência poderá trazer benefícios para ambos, além de evitar problemas relacionados à falta de informação.

Diante de qualquer descumprimento, a BM&FBovespa tomará as medidas cabíveis para minimizar os efeitos que uma possível falta venha causar.

Direitos do doador

  • Receber os aluguéis dos ativos estabelecidos no contrato;
  • Continuar a ser remunerado pelos proventos dos papéis.

Deveres do doador

  • Não negociar as ações emprestadas;
  • Transferência do direito do voto nas assembleias para o tomador durante a vigência do contrato.

Direitos do tomador

  • Vender as ações sob a cotação e período desejados sem qualquer influência do doador;
  • Exercer o poder de voto nas assembleias, no caso do aluguel de ações ordinárias.

Deveres do tomador

  • Pagar a taxa de aluguel determinada no contrato;
  • Devolver os ativos alugados na mesma quantidade. Lembre-se que a liquidação leva três dias úteis, então você precisa fazer a compra com esse prazo de antecedência;
  • Oferecer a garantia exigida pela BM&F Bovespa e Corretora.

Para saber mais, fale com o seu assessor.

Para receber mais conteúdos como este, inscreva-se em nossa newsletter: